13/09/2020

Abraji cria ferramenta que reúne bases de dados e faz conexões entre as relações de poder no Brasil

Desenvolvido em parceria com o Brasil.IO, o CruzaGrafos será lançado em outubro e permitirá mapear visualmente conexões entre elementos a partir de bases de dados

Por: André Martins e Katherine Rivas

Edição: Pâmela Chagas


Ferramenta cada vez mais necessária para a profissão do jornalista, o jornalismo de dados possui um estilo de composição diferente dos modelos de matérias tradicionais, como tabelas, colunas, números e linhas. Por esse motivo, acaba afastando os jornalistas que não têm proximidade com essa área. Contudo, este não é o único conflito. Mesmo para os profissionais que gostam de explorar bancos de dados, muitas informações podem passar despercebidas quando observadas apenas a partir de planilhas.

Para solucionar essas dificuldades e facilitar a visualização de conexões entre elementos presentes nas bases de informação, nasceu a ferramenta CruzaGrafos. Com lançamento previsto para outubro, esta plataforma promete auxiliar jornalistas quando o assunto é extrair conexões relevantes para fortalecer a investigação jornalística.

Desenvolvido pela Abraji em parceria com o Brasil.IO, o CruzaGrafos reúne informações coletadas em diferentes bancos de dados, permitindo a exploração visual do material com abordagem diferente de palavras ou planilhas. A interface de navegação da ferramenta cria grafos, que são o resultado do mapeamento de conexões e relações entre os dados pesquisados.
A ferramenta foi apresentada na mesa “Investigações visuais em grandes bases de dados”, do Congresso da Abraji. Ex-presidente da Abraji, o editor do Estadão Daniel Bramatti contou que a inspiração para a plataforma foi outra ferramenta, chamada Cruzadados e desenvolvida pelo jornalista Cláudio Abramo, pioneiro na transparência e no jornalismo de dados, e por José Roberto de Toledo, também ex-presidente da organização.

Após o falecimento de Abramo em 2018, o código do programa e os dados de interesse público coletados foram cedidos à Abraji. Com isso, veio a ideia de aproveitar o material para fazer uma navegação visual com grafos e, assim, surgiu o CruzaGrafos. Ainda em desenvolvimento, o projeto foi inscrito no Desafio de Inovação do Google News Initiative de 2019 e contemplado com o prêmio.

Em sua primeira versão, a CruzaGrafos já está abastecida com dados relevantes e pronta para uso. “O intuito da iniciativa foi montar um super grafo de relações de poder no Brasil a partir de dados abertos”, comenta o programador Álvaro Justen, da Brasil.IO e um dos desenvolvedores. Stefano Wrobleski, jornalista de dados no InfoAmazonia e também integrante da equipe, aponta que a grande utilidade do CruzaGrafos é que a plataforma foca em visualizar conexões que antes eram difíceis de sistematizar.

A ferramenta conta com uma ampla rede de informações. A partir dos dados das 29.085 candidaturas do processo eleitoral de 2018, o programa mapeou mais de 3,3 milhões de “objetos” (entre candidaturas, pessoas físicas e jurídicas), estabelecendo cerca de 4,2 milhões de relações entre os elementos. Ao todo, foram registrados quase 30 milhões de dados de interesse público.

Outras bases de dados serão ainda adicionadas, como a do Tribunal Superior Eleitoral, contendo candidaturas de outras eleições, doadores e gastos de campanhas. Também será incluído dados de despesas do governo federal como licitações e contratos, abrangendo informações de valores e pessoas beneficiadas. Irão acrescentar ainda, dados de saúde pública sendo contratos e despesas do Ministério da Saúde e dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. É estudada a inserção de mais dados e recursos futuramente.

O lançamento do CruzaGrafos deve ocorrer em outubro, durante um curso realizado em parceria com o Transparência Brasil. Segundo o editor de projetos da Abraji, Reinaldo Chaves, esta será a porta de entrada para o uso da ferramenta. O curso apresentará, em 15 aulas, exemplos práticos de utilização da plataforma em reportagens de fôlego e também no cotidiano das redações. As inscrições serão abertas no dia 16 de setembro.

No primeiro momento, será necessário entrar na plataforma com e-mail e senha de cadastro como associado da Abraji. Os detalhes de acesso para o público geral, de não associados ou não jornalistas, serão divulgados em breve. 


Direção de arte: Isabella Vieira e Mikael Schumacher
Criação de arte: André Gonçalves

A cobertura oficial do 15º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é realizada por estudantes, recém-formados e jornalistas integrantes da Redação Laboratorial do Repórter do Futuro, da OBORÉ, sob coordenação do Conselho de Orientação Profissional e do núcleo coordenador do Projeto. Conta com o apoio institucional da Abraji, do Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais (IPFD) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) em cooperação com a Oficina de Montevideo/Oficina Regional de Ciências para a América Latina e Caribe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário