22/06/2016

Com bons exemplos e debates sobre novas tendências, congresso discutirá jornalismo no Brasil e no mundo

Por Luan Ernesto Duarte

Começa nesta quinta-feira (23), em São Paulo, o 11º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). Durante os dias 23, 24 e 25 de junho, o evento na Universidade Anhembi Morumbi, campus Vila Olímpia, terá cerca de 70 painéis e workshops com temas voltados para inovações tecnológicas, segurança pública, política, esportes, jornalismo de dados, técnicas de reportagem, entrevista e redação.

As discussões no congresso sobre o jornalismo brasileiro e mundial devem reunir cerca de 600 participantes. As atividades serão divididas em nove salas, três laboratórios e um auditório.

O jornalista Caco Barcellos estará junto com sua equipe do “Profissão Repórter”, da Rede Globo, passando em revista os dez anos do programa em um painel especial. Este ano Caco reuniu algumas de suas histórias, desde quando o “Profissão” era ainda um quadro do “Fantástico”, em um livro no qual conta histórias dos 10 anos de programa.

A ministra Cármen Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal), fará palestra na sexta-feira (24) sobre o tema “Liberdade de imprensa e expressão no Judiciário”. A futura presidente da corte discutirá questões como a relação entre mídia e Judiciário.

O congresso terá palestrantes dos Estados Unidos, Inglaterra e Argentina. Entre eles, o jornalista norte-americano Bob Garfield, que comanda o programa On The Media na NPR, rádio pública dos Estados Unidos, que fechará o evento no dia 25 com o painel “Imprensa: o que vem depois da crise”. Em seu programa, Garfield faz uma análise crítica da imprensa americana, tratando de grandes temas da atualidade. 

Guilherme Alpendre, secretário-executivo da Abraji, destaca o painel “Por trás do Panamá Papers”, a investigação jornalística feita por repórteres de todo o mundo que revelou segredos dos negócios offshore de líderes globais, políticos, criminosos e celebridades. Os jornalistas Fernando Rodrigues (UOL), José Roberto de Toledo (O Estado de S.Paulo) e Marina Walker Guevara (ICIJ, sigla em inglês para Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, que coordenou a apuração) falarão sobre os bastidores da reportagem.

A repórter Elvira Lobato será a homenageada desta edição. Ela recebe a homenagem pelo conjunto de seu trabalho jornalístico. Em 2016, ela completa quatro décadas de carreira como repórter, com passagens por veículos como o jornal Folha de S.Paulo. O jornalista Alberto Dines receberá o Prêmio Abraji de Contribuição ao Jornalismo. Dines tem mais de 60 anos de carreira e é editor-chefe do site Observatório da Imprensa, que completou 20 anos em abril deste ano. 

Marina Iemini Atoji, gerente-executiva da Abraji, destaca os cursos “Como o investigar o gasto público”, com Gil Castello Branco, fundador da ONG Contas Abertas, “Reportagem em vídeo”, com Raphael Erichsen, diretor de criação da produtora 3FilmGroup, e “Como fazer visualização de dados com Tableau”, com Daniel Lima, editor-assistente de infografia do jornal O Globo. Os infográficos de Daniel estão entre os 10 perfis do Tableau Public mais visualizados.

A programação completa do congresso da Abraji pode ser vista aqui.


O 11º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi com o patrocínio de Google, Grupo Globo, Estadão, Folha de S.Paulo, Gol, Itaú, Twitter e UOL, e apoio da ABERT, ANJ, ANER, Comunique-se, Conspiração, Consulado dos Estados Unidos, ETCO, FAAP, Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas, ICFJ, Jornalistas & Cia., Knight Center for Journalism in the Americas, OBORÉ Projetos Especiais, Portal Imprensa, Textual e UNESCO. Desde sua 5ª edição, a cobertura oficial é realizada por estudantes do Repórter do Futuro, sob a orientação de coordenadores do Projeto e diretores da Abraji.

Nenhum comentário:

Postar um comentário