25/06/2016

Desafio de cobertura olímpica é encontrar pautas originais

Por Erick Noin

Experientes jornalistas em coberturas olímpicas, Dorrit Harazim (O Globo) e Renato Ribeiro (TV Globo) relembraram causos e deram dicas à nova geração de jornalistas presentes no terceiro e último dia do 11º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Abraji.

Na palestra deste sábado (25), eles contaram suas trajetórias em coberturas olímpicas. Dorrit, ainda pela revista Veja, cobriu o evento de Moscou, na então União Soviética, em 1980, e desde então participou de todas as sete edições seguintes, até a de Pequim, em 2008. 

Já Ribeiro, mais jovem, cobriu todas as edições dos Jogos Olímpicos desde 2000 em Sydney e estará presente na cobertura dos jogos do Rio como diretor-executivo da direção-geral de Jornalismo e Esporte da TV Globo.

Foto: Alice Vergueiro
O trabalho como repórter nos Jogos Olímpicos é cercado de dificuldades e glórias, entre elas a de participar de um fato histórico. Ribeiro lembrou, por exemplo, quando Usain Bolt da Jamaica bateu o recorde mundial dos 100 metros em Pequim.

"Curioso que um ano antes eu cobri o mundial de atletismo, e Bolt ficou em quinto nos 100 metros. E eu lembro de reparar na altura dele (1,95) e me perguntar como ele pode ser velocista?". Em Pequim, "após (Bolt) passar para a final com um tempo assombroso, percebi que estava diante de um fato histórico, que se falaria daquilo por muito e muito tempo".

DESAFIOS DA COBERTURA 

Entre os desafios que os palestrantes destacaram está o grande número de jornalistas presentes em cada evento – superior até ao de atletas – e a dificuldade de encontrar pautas originais. Os dois jornalistas citaram não gostar do tipo de abordagem clichê que destaca a superação do atleta vitorioso ante tantas dificuldades enfrentadas, como a pobreza.

A solução encontrada por ambos está em fugir do óbvio, como ir atrás de atletas representativos da diversidade da delegação olímpica brasileira. Quando o assunto são jovens promessas, Dorrit foi além, incentivando uma abordagem na qual se encontre uma maneira interessante de entrar em suas vidas com relação ao esporte, já que, ainda muito jovem, "eles podem não ter uma vida intelectual e social interessante".

O preparo também é essencial. Em um evento que abrange tantos esportes, é importante ter prioridade dos que se vai cobrir. Acompanhar treinos, estudar as regras e outros tipos de imersão são essenciais, mas não exclusivo do jornalismo nas Olimpíadas. "É da profissão, não apenas da Olimpíada. A profissão faz de nós especialistas em 5 segundos", brincou Dorrit.

COPA DO MUNDO X JOGOS RIO 2016

Dorrit destacou as diferenças entre a Copa do Mundo e as Olimpíadas a partir do tipo de torcedor presente no evento. Se na copa o torcedor vai para torcer pelo próprio país, as Olimpíadas são frequentadas por amantes de esportes, que vão pelo espetáculo.

Outro diferencial importante entre os dois eventos está na presença das mulheres, diz Ribeiro. Se na Copa do Mundo as mulheres são apenas espectadoras, pela disputa ser exclusivamente masculina, nas Olimpíadas elas têm papel de protagonistas.

Sobre o pessimismo que vem cercando os jogos no Rio a 41 dias de seu início, com a cidade ainda com obras atrasadas e com suspeitas de superfaturamento, além da crise financeira do Estado do Rio de Janeiro, os dois foram enfáticos: apesar das dificuldades, os jogos se tornarão realidade.


O 11º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi com o patrocínio de Google, Grupo Globo, Estadão, Folha de S.Paulo, Gol, Itaú, Twitter e UOL, e apoio da ABERT, ANJ, ANER, Comunique-se, Conspiração, Consulado dos Estados Unidos, ETCO, FAAP, Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas, ICFJ, Jornalistas & Cia., Knight Center for Journalism in the Americas, OBORÉ Projetos Especiais, Portal Imprensa, Textual e UNESCO. Desde sua 5ª edição, a cobertura oficial é realizada por estudantes do Repórter do Futuro, sob a orientação de coordenadores do Projeto e diretores da Abraji. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário