28/06/2018

Curso destaca a importância do uso de dados públicos na cobertura eleitoral

Para Claudio Weber Abramo, informações públicas são grandes aliadas nas buscas por pautas políticas e fiscalização eleitoral

Por Hanna Oliveira


Claudio Weber Abramo. Foto: Alice Vergueiro
Na tarde desta quinta-feira, 28, durante o 13º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, Claudio Weber Abramo ministrou o curso ‘O uso de dados públicos na cobertura de eleições’. Durante quase 15 anos ele foi diretor-executivo da ONG TransparênciaBrasil, atualmente é vice-presidente do conselho deliberativo e continua ligado a projetos para divulgação de dados públicos.
Pelos sites Data Scópio e Cruza Dados os jornalistas presentes no curso puderam ter acesso a dados já pré-selecionados e organizados. Nessas plataformas será possível consultar diversos tipos de informações, seja pelo nome dos candidatos, CPF ou título de eleitor e, até mesmo, conseguir dados sobre empresas doadoras de campanhas políticas, com informações provenientes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Além do curso para a sala cheia de jornalistas, Abramo trouxe um pouco da sua experiência e aprendizado ao longo de tantos anos de estudos de dados sobre a realidade política brasileira, como as limitações da lei de acesso à informação e até interesses de grupos que oferecem financiamento de campanhas.

Especificamente sobre a Lei de Acesso à Informação, ele destacou a importância do papel do jornalista na mediação da informação para a sociedade: “se não houver demanda, não há informação e quem faz essa demanda é a imprensa. Se a imprensa não faz a pergunta, não tem a resposta”.

No ‘Cruza Dados’ será possível verificar se os políticos possuem veículos de comunicação, quais propriedades estão em seus nomes, se são dono de outros tipos de empresas ou não. Já no ‘Data Scópio’ há a possibilidade de entender os gastos públicos durante a campanha e o mandato dos políticos.

Os dois projetos são dirigidos por Claudio Abramo. Mas ainda não é possível ter acesso completo a essas plataformas, porque ele vem trabalhando sozinho em sua estruturação e organização de dados. No momento, ainda não existe uma forma de divulgação determinada para essas plataformas.

O 13º Congresso internacional de Jornalismo investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi com o patrocínio de Google News Lab, Grupo Globo, Facebook Journalism Project, McDonald's, Estadão, Folha de S.Paulo, Gol, Itaú, Nexo jornal, Twitter e UOL, e apoio da ABERT, ANJ, ANER, Comunique-se, BuzzFeed, Consulado dos Estados Unidos, ETCO, FAAP, Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas, Revista Piauí, Jornalistas & Cia., Knight Center for Journalism in the Americas, OBORÉ Projetos Especiais, Portal Imprensa, Textual e UNESCO. Desde a 5ª edição, a cobertura oficial é realizada por estudantes do Repórter do Futuro, orientados por profissionais coordenadores do Projeto e diretores da Abraji.

Nenhum comentário:

Postar um comentário